Evolução não é progresso: uma reflexão

Houve um tempo em que as pessoas se divertiam quando um escravo era colocado numa arena para ser comido por leões; homens lutavam até a morte para entreter a realeza; mulheres eram queimadas em fogueiras, pessoas enforcadas em praça pública e a multidão, em êxtase, se acotovelava para assistir. Pensei que estávamos livres desse tempo, mas aqui no Brasil, vemos o retorno dele avançando. Em breve, não será mais a liberdade que abrirá as asas sobre nós.

Setembro de 2017 será marcado na história como o mês em que o fascismo mostrou as suas garras e arreganhou os dentes para o povo braqsileiro. Um vereador em Maringá se propôs a combater as palestras sobre “Escola sem LGBTfobia”, em escolas estaduais, com medo de uma tal ideologia de gênero que não existe, nunca existiu e nunca existirá; um juiz autoriza que psicólogos “tratem homossexuais”, com objetivo de cura ou de reversão sexual. Isso é um retrocesso se considerarmos que durante séculos, pessoas homossexuais foram tratadas como criminosas, ou como doentes. Esse tempo já passou, mas estão querendo torna-lo presente. E, para fechar o mês com chave de ouro. O STF autoriza o ensino religioso nas escolas do país. Passaremos de um Estado laico, para um Estado confessional. Engalfinhem-se católicos e protestantes, pois uma religião terá de ser superior à outra.

Parabéns brasileiros e brasileiras! Em breve, isso aqui tudo vai virar um quintalzão do MBL. Já é possível que qualquer pessoa que tenha notório saber dê aulas, o que fará com que fundamentalistas religiosos entrem nas salas de aula para “educarem” nossas crianças, afinal, estarão municiados do notório saber. As discussões de gênero, educação sexual e combate às violências estão sendo perseguidas e retiradas da prática. A famigerada escola sem partido entregará à sociedade adultos sem discussão política, sem pensamento crítico, verdadeiros apedeutas.

O Brasil engatou a marcha à ré e está voltando no tempo, retrocedendo na história, “desevoluindo” as pessoas, retirando direitos, cerceando as liberdades. Um belo exemplo de que evolução não é a mesma coisa que progresso.